Construção Saudável – Sala de Estar

por Susana Lucas
2 comentários

Continuando a apresentar um pouco da construção saudável, hoje passamos pela sala. Existem 3 aspetos chave para ser saudável: ter circulação, ter iluminação natural e ter ventilação.

Em termos de circulação é realmente um espaço por excelência de circulação, convívio e ligação, por isso é tão importante ter espaços/locais para estar como zonas de circulação. O ideal é ter o suficiente para ser acolhedor sem estar completamente cheia de coisas, sem possibilidades das pessoas circularem à vontade.

O outro aspetos é a iluminação natural, dado ser um espaço com alguma diversidade de utilização e tempo, é fundamental ter iluminação natural, se possível mais ao final da tarde, quando se utiliza este espaço.

É igualmente – sempre – importante a ventilação, preferencialmente natural e cruzada, conseguir sentir “varrer” o espaço com o vento em toda a sua área. Este é um aspeto muito importante em toda a habitação, contudo na sala de estar sendo um espaço de permanência e ocupação conjunta ainda mais se necessita de ventilação.

Claro que não nos podemos nunca esquecer dos materiais, desde as tintas serem o mais naturais possíveis, como o pavimento, os móveis e todos os acessórios que se possam incluir na sala de estar, tudo natural, evitar plásticos e sintéticos.

Não nos podemos esquecer que a sala de estar tem sempre uma forte componente de campos eletromagnéticos, televisão, WiFi, sistema de som, por isso podem sempre se implementar soluções de minimizar o seu impacto direto nos habitantes.

E uma das soluções para termos melhorias significativas na sala de estar – e em qualquer compartimento – é termos plantas, se possível sempre adaptadas à luz, temperatura e humidade do local, não tóxicas e quem sabe mesmo comestíveis!

Responder a Susana Lucas Cancelar resposta

* Ao submeter este formulário, concordo com o armazenamento destes dados, para este efeito, por este website.

2 comentários

Avatar
Cristiana Madeira 21 de Fevereiro, 2021 - 22:56

“Não nos podemos esquecer que a sala de estar tem sempre uma forte componente de campos eletromagnéticos, televisão, WiFi, sistema de som, por isso podem sempre se implementar soluções de minimizar o seu impacto direto nos habitantes.”

Boa noite Susana, só hoje tive a oportunidade de ouvir a sua intervenção no Webinar de Sustentabilidade que decorreu há poucos dias. Ficam aqui desde já os meus parabéns! Despertou-me para algumas questões pessoais e profissionais que considero importantes.

Estou a iniciar a construção da minha nova casa (habitação permanente) e preocupou-me o alerta que fez às estruturas metálicas integradas com o betão. A estrutura da casa será precisamente metálica. De que forma poderei equilibrar / minimizar a influência da mesma na amplificação dos campos eletromagnéticos das diferentes divisões da casa? Que outros materiais deverei utilizar no revestimento e decoração interior das divisões? As plantas também têm alguma influência nesta amenização ou apenas na qualidade do ar?

Finalmente, e desculpe se estou a abusar, quais as características das luzes Led que considera de boa qualidade? Como avaliar o índice de intermitência que li num dos seus artigos aqui presentes?

Para além de ter esta preocupação para a minha futura casa, sou co-proprietária de um Hotel na Batalha (Casa do Outeiro – Arts and Crafts Boutique Hotel) e gostaria de perceber melhor se a iluminação que temos vindo a introduzir é a mais adequada ou não.

Agradeço desde já toda atenção dispensada.
Boa semana para si e bom trabalho!
Cristiana Madeira

Responder
Susana Lucas
Susana Lucas 22 de Fevereiro, 2021 - 18:55

Viva Cristiana,

Muito grata por teres gostado e eu ter conseguido despertar algumas questões.
A construção em estrutura de betão armado é o mas recorrente hoje em dia, eu também tenho. A minha sugestão é que a mesma tenha uma boa ligação à terra, o que se pode verificar quando tiverem a fazer, bem como o recobrimento das armaduras com betão seja o correto e feito adequadamente, não com pedrinhas… já vi fazer assim…
Em relação aos campos eletromagnéticos, temos que viver com eles, aliás nós próprios somos… mas o que aconselho é pelo menos no quarto teres atenção, evitar cabos elétricos na zona da cabeceira da cama, sim, sim ter plantas, conseguires ter completa ausência de luz, ter possibilidade de ventilação cruzada (entre 2 direções opostas) e minimizar equipamentos eletrónicos no seu interior. Quando estamos a dormir o nosso sistema imunitário está a recarregar, não podemos estar a ter estímulos como se tivéssemos acordados. Materiais o mais naturais possível, desde tintas, material do pavimento, móveis, a cama também deve ter um colchão sem sistema metálico e ser de materiais naturais, bem como não estar toda assente no pavimento.
Em relação à luz, tens que pensar para o que precisas, se for para leres um livro e relaxar ou se for para conseguires estar a fazer uma noitada a trabalhar. Todas as lâmpadas têm vários dados na suas fichas de características, tem atenção à cor da luz (branca ou amarela) e lux (a intensidade da luz).
Espero ter ajudado, qualquer coisa apita!
Tudo de bom,
Susana

Responder

Artigos Relacionados

Este website utiliza cookies para melhorar a tua experiência de navegação. Ok Ler Mais