Mofo pode ser recorrente, mas também muito grave para a nossa saúde

por Susana Lucas
0 comentário

A semana passada na passagem pelo Instagram da @yogagirl, verifiquei que ela está muito alarmada por terem detetado 3 espécies, não visíveis, de mofo na sua casa, muito tóxicas. Saiu de casa, não sabe o que fazer, nem como resolver. Pelo que vi tem estado numa casa alugada. O que sentia era que quando estava em casa não conseguia estar a 100% e a sua filha de 3 anos apresenta equizema.

Assim numa pesquisa descobri o site www.housebeautiful onde nos apresenta as diversas tipologias que podem aparecer nas nossas casas:

1) ACREMONIUM

Classificação: Tóxico (o que significa que pode ser prejudicial)

Aparência: começa como um mofo pequeno e húmido e se transforma em uma substância pulverulenta. Geralmente é rosa, cinza, laranja ou branco.

Localização: normalmente cresce em sistemas domésticos, como humidificadores, serpentinas de resfrigeração, recipientes de drenagem e selantes de janelas. Às vezes também é conhecido por crescer ao lado de strachybotrys (mofo preto) e outros.

Riscos: A exposição a este tipo de mofo é perigosa. Os riscos podem incluir doenças da medula óssea e do sistema imunológico, bem como função cerebral prejudicada.

2) ALTERNARIA

Classificação: Alérgico (o que significa que pode fazer você tossir, ter urticária e coceira nos olhos lacrimejantes; é o tipo mais comum de fungos alérgicos)

Aparência: Tem uma textura aveludada com ” cerdas verdes escuras ou castanhas ”

Localização: normalmente você pode encontrar esse mofo em chuveiros, banheiras e abaixo de pias. Muitas vezes significa danos causados pela água e se espalha rapidamente.

Riscos: sintomas de asma

3) ASPERGILLUS

Classificação: Alérgico, mas capaz de ser tóxico, dependendo da espécie

Aparência: “Esporos longos em forma de frasco que podem formar camadas grossas ou paredes de mofo.” Porque existem mais de 185 espécies de Aspergillus, ele vem em muitas cores diferentes.

Riscos: Risco menor, no entanto, existem descrições que relatam “as reações mais graves incluem infeções respiratórias, reações alérgicas e pulmões inflamados”. Certas espécies desse mofo podem produzir um cancro mortal chamado aflatoxina

4) AUREOBASIDIUM

Classificação: Alérgico

Aparência: normalmente uma cor rosa, vermelha ou preta, mas à medida que envelhece, geralmente torna-se um vermelho mais escuro.

Localização: frequentemente encontrado atrás de papel de parede ou em superfícies pintadas / de madeira.

Riscos: infeções nos olhos, pele e unhas.

5) CHAETOMIUM

Aparência: Este mofo texturizado semelhante ao algodão geralmente começa na cor branca e, eventualmente, escurece com o tempo, de cinza a vermelho e preto.

Localização: normalmente em edifícios que são muito danificados pela água, especificamente seu telhado, cave, canos e corete técnica. Cuidado com o cheiro de mofo.

Riscos: infeções de pele e unhas

6) CLADOSPORIUM

Classificação: Alérgico

Aparência:  mofo de cor verde oliva ou vermelha com uma textura semelhante a camurça.

Local: frequentemente encontrado em carpetes, tecidos, estofados, pisos de madeira e armários

Riscos: problemas respiratórios

7) FUSARIUM

Classificação: Alérgico e Tóxico

Aparência: rosa, branco ou vermelho

Local: Normalmente encontrado em carpetes, papéis de parede e outros tecidos. Ele cresce naturalmente na comida e se espalha rapidamente.

Riscos: infeções de pele e sintomas de reações alérgicas (por exemplo, dor de garganta, coceira nos olhos, espirros, etc.). “A exposição prolongada ao fusarium pode causar outras condições graves e potencialmente fatais, como infeções ósseas ou abscesso cerebral”, relata AerIndustries . Eventualmente, as toxinas podem danificar o sistema nervoso e causar hemorragia potencial e sangramento interno.

8) MUCOR

Classificação: Alérgico

Aparência: Branco ou cinza na cor, cresce em manchas grossas rapidamente

Localização: próximo a unidades de AVAC, tubagens de AVAC e tapetes velhos e húmidos onde há humidade da condensação

Riscos: Asma e/ou sintomas semelhantes aos da gripe. Em casos graves, pode causar mucormicose – uma infeção fúngica, que pode danificar e infecta os olhos, nariz, pulmões e cérebro.

9) PENICILLIUM

Classificação: Alérgico

Aparência: De cor azulada ou esverdeada com textura aveludada.

Localização: Edifícios danificados pela água – principalmente em colchões, tubagem, papel de parede e tapetes. Ele também se espalha rapidamente.

Riscos: Ao contrário dos antibióticos produzidos a partir disso, esses esporos de fungos podem se mover facilmente pela casa no ar e ser inalados, causando problemas respiratórios, inflamação pulmonar, asma e potencialmente sinusite crônica.

10) STACHYBOTRYS (também conhecido como bolor negro)

Classificação: Tóxico

Aparência: Verde escuro ou preto, com uma textura viscosa

Local: áreas que ficam húmidas, molhadas e por semanas, incluindo madeira, papelão e vime

Riscos: Problemas graves de saúde (ou seja, dificuldade para respirar, fadiga, sinusite e depressão), bem como problemas neurológicos e sangramento pulmonar em crianças e bebês.

11) TRICHODERMA

Classificação: Alérgico

Aparência: manchas geralmente brancas e verdes lanosas, embora haja 5 subespécies diferentes

Local: tecidos húmidos, papel de parede, carpete e outras superfícies, bem como áreas húmidas onde a condensação se acumulou (ou seja, filtros AVAC e suas tubagens)

Riscos: “A maioria dos fungos tricodermáticos não é patogênica”, afirma a AerIndustries , mas outros tipos produzem micotoxinas, que podem causar sinusite, reações alérgicas e outros problemas de saúde

12) ULOCLADIUM

Aparência: na cor preta, normalmente

Local: frequentemente encontrado em cozinhas, banheiros, caves e janelas onde há danos extremos de água ou níveis de alta condensação

Riscos: podem causar reações graves, como febre do feno, infeções de pele, sintomas de asma e dificuldade para respirar

Com certeza que a primeira coisa a fazer é tentar eliminar a causa do seu aparecimento, não vale a pena limpar ou outra medida antes de resolver a sua causa. Pode sempre existir a colocação de um purificador de ar para mofos… pelo menos para remover o que ainda exista depois de resolvermos a causa.

Temos ter consciência que a nossa casa pode ser promotora da nossa saúde mas pode também nos provocar doenças, temos que estar atentos e manter a casa!

Deixa um comentário

* Ao submeter este formulário, concordo com o armazenamento destes dados, para este efeito, por este website.

Este website utiliza cookies para melhorar a tua experiência de navegação. Ok Ler Mais