Porquê Institutos Politécnicos e Universidades?

por Susana Lucas
0 comentário

Tem vindo a ser discutido tanto nos órgãos para o efeito como publicamente a questão destas duas vertentes, ensino politécnico e ensino universitário, do ensino superior. Porquê?

Sei que quando foi iniciado o ensino politécnico estávamos próximo da revolução (25 de Abril) e portanto tudo era possível e até tinha lógica no contexto dessa época. Existiam poucas pessoas com formação superior e existia uma carreira técnica não superior que necessitava de profissionais. Mas agora? Que entramos no novo século que já passamos por cursos de tudo e mais alguma coisa, que foram entretanto fechadas universidades privadas, não devíamos evoluir?

A evolução nem por si será uma inovação. É só copiar o que acontece no resto da Europa. Todo o Ensino Superior passar a Universidades e será as avaliações e os alunos que vão aferir a condições de funcionamento e continuidade. Não podemos ter dois tipos de ensinos superiores. Pelo menos nos outros níveis escolares não existe.

E os doutoramentos? Qual é o problema de ser em institutos politécnicos? Não têm efetuado um esforço para o corpo docente ser doutorado ou especialista? Esses doutorados são diferentes dos que lecionam não universidades, mesmo tendo obtido o grau, no mesmo tipo de instituições. Não se compreende. Ou melhor eu não compreendo.

Pode ser por ter 2 doutoramentos conferidos por duas universidades distintas e 2 títulos de especialista conferidos por duas escolas distintas que não percebo esta hierarquização. Nunca senti que sou mais ou menos que alguém por ter o grau daqui ou de acolá. Não sei até que ponto que os especialistas não tem mais competência técnica, que um doutorado que nunca tenha trabalhado no meio empresarial, para acompanhar trabalhos de I&D das empresas.

Por isso faz-me confusão de se pedir ao ensino superior que exista maior trabalho de I&D aplicado ao mundo empresarial e depois se coloquem este tipo de barreiras. Espero sinceramente que o assunto seja ultrapassado que o país evolua até na forma de estar na Europa. Fica o desafio!

Deixa um comentário

* Ao submeter este formulário, concordo com o armazenamento destes dados, para este efeito, por este website.

Artigos Relacionados

Este website utiliza cookies para melhorar a tua experiência de navegação. Ok Ler Mais