Soluções para Construção Sustentável e Saudável 26 – ENSOMBRAMENTO

por Susana Lucas
0 comentário

A exposição solar vai condicionar ou desafiar a capacidade que vamos potenciar de ensombramento no edifício. Esta pode ser ou não vantajosa, por isso o mais adequado é verificar como vai variando ao longo do ano.

Por exemplo em Peniche, foto do artigo, temos esta fachada virada a sul. Contudo existe desse lado um prédio vizinho que é mais alto, por isso vamos ver como será em termos de sombreamento no inverno. Por exemplo devido a esse prédio, existe uma parte do logradouro, que não tem sol direto, para o bem e para o mal. Por isso estamos a planear uma pérgola junto à fachada da foto e no restante não vai ser preciso grande coisa.

Em termos de SUSTENTABILIDADE o ensombramento pode ser desvantajoso dado que não entra sol direto, por exemplo em divisórias interiores, contudo pode ser vantajoso em espaços exteriores se não pretendermos ter sol direto, assim não se precisa de equacionar equipamentos para o efeito.

Se analisarmos a SAÚDE e BEM-ESTAR é sempre recomendável ser possível ter sol direto nas divisórias interiores e podermos o regular, por exemplo com um estore. Pois a não entrada de sol pode levar a zonas mais húmidas, mesmo que exista ventilação natural cruzada. O sol diretamente pode mesmo potenciar o desaparecimento de algumas bactérias que possam existir nas superfícies. Os raios ulta-violetas são excelentes para o efeito!

Deixa um comentário

* Ao submeter este formulário, concordo com o armazenamento destes dados, para este efeito, por este website.

Artigos Relacionados

Este website utiliza cookies para melhorar a tua experiência de navegação. Ok Ler Mais